quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Arredondamentos

 

Resultado de imagem para arredondamentos em matemáticaEm muitas situações do dia a dia, principalmente quando trabalhamos com números muito grandes ou números com muitas casas decimais, não é necessário que o façamos com os valores exatos. Por vezes, para facilitar os cálculos e até mesmo a leitura desses números, é interessante que façamos arredondamentos.

 

Vamos considerar dois casos:

 

  • Arredondamento com números decimais

Inicialmente devemos decidir com quantas casas decimais queremos trabalhar e eliminar aquelas que não nos interessam. Feito isso, vamos olhar para o primeiro algarismo à direita daqueles que permanecerão. Se esse algarismo for menor que 5, nada muda, caso contrário, aumentamos o último algarismo do número com que queremos ficar de 1 unidade.

Acompanhe os exemplos:

Número

Casas decimais

Arredondamento

Como fica

82,274369

4

82,2743|69

82,2744

82,274369

3

82,274|369

82,274

82,274369

2

82,27|4369

82,27

82,274369

1

82,2|74369

82,3

 

  • Arredondamento com números inteiros

Com números grandes, o arredondamento é feito de acordo com a ordem desejada, seguindo-se a mesma lógica utilizada no arredondamento dos números decimais.

Relembremos como se classificam os números em classes e ordens.

image

Observe agora os exemplos a seguir:

Número Ordem Arredondamento Como fica
419.735.237 dezena 419.735.23|7 419.735.240
419.735.237 centena 419.735.2|37 419.735.200
419.735.237 u. de milhar 419.735.|237 419.735.000
419.735.237 u. de milhão 419.|735.237 420.000.000

 

Francisco Ismael Reis.

AssinaturaFundoCla

04/01/2017.

O número do sapato

 

 

Resultado de imagem para sapatos pre históricos ilustraçõesA história dos calçados começa quando o homem percebeu que seus pés eram sensíveis e precisavam de proteção para ajudá-lo a se locomover através dos diferentes tipos de solo, principalmente os mais pedregosos.

Acredita-se que o ofício de sapateiro tenha nascido com os antigos egípcios por volta de 1500 A.C.

 

CevadaEntretanto, foi no século XIII, na Inglaterra, que o rei Eduardo I estabeleceu que uma polegada (2,54 cm, o tamanho do seu polegar) seria o equivalente a 3 grãos de cevada secos e alinhados. Surgia, assim, a primeira padronização para se medir o tamanho dos sapatos e uma nova unidade métrica, o ponto. Dessa forma, ao pé de uma pessoa que medisse 40 grãos de cevada de comprimento, seria associado número 40. Esse padrão é utilizado, ainda hoje, na Inglaterra e nos Estados Unidos.

Países, como o Brasil, adotam sistemas diferentes desse, mas baseados na ideia de ponto. Aqui, o ponto equivale a 2/3 de cm (0,66 cm).

Para escrevermos a função que expressa o número do nosso sapato, vamos chamar de s à variável dependente que representa, em pontos, o número do sapato e de x à variável independente que representa, em centímetros, o comprimento do pé.

Assim:

Fórmula2

Dessa maneira, a um pé cujo comprimento seja de 26 cm, corresponderá, em pontos, o número:

Fórmula3

No Brasil, outro modo de se relacionar o número do sapato com o tamanho do pé (em centímetros) é através da fórmula:

Fórmula

Francisco Ismael Reis

AssinaturaFundoCla

04/01/2017.

sábado, 31 de dezembro de 2016

Uma curiosidade com números de 3 algarismos

 

Escolha um número qualquer de 3 algarismos e multiplique-o, sucessivamente, por 7, 11 e 13.

Observe os exemplos:

1) Escolhendo o número 217oie_transparent

217 x 7 = 1519

1519 x 11 = 16709

16709 x 13 = 217217

2) Escolhendo 539

539 x 7 = 3773

3773 x 11 = 41503

41503 x 13 = 539539

Experimente fazer o mesmo, escolhendo outros números.

Note que, qualquer que seja o número de três algarismos escolhido, o resultado final é formado pelo número escolhido, escrito duas vezes.

Tente achar uma explicação para isso.

31/12/2016

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Palíndromos

 

 

image

Uma palavra, frase ou qualquer sequência de algarismos que tenha a propriedade de apresentar o mesmo resultado ao ser lida da direita para a esquerda ou da esquerda para a direita é chamada palíndromo.

O número 1234321 é palíndromo ou capícua.

Num palíndromo, são desconsiderados os sinais ortográficos, bem como os espaços entre palavras.

Abaixo, alguns exemplos de frases palíndromas.

 

1. A BASE DO TETO DESABA

2. A CARA RAJADA DA JARARACA

3. A DIVA EM ARGEL ALEGRA-ME A VIDA

4. A GRAMA É AMARGA

5. A MALA NADA NA LAMA

6. A TORRE DA DERROTA

7. ADIAS A DATA DA SAÍDA

8. AME O POEMA

9. AMOR A ROMA

10. ANOTARAM A DATA DA MARATONA

11. ANOTARAM A MARATONA

12. APÓS A SOPA

13. ARARA RARA

14. ATÉ O POETA

15. EVA ASSE ESSA AVE

16. LÁ VOU EU EM MEU OVAL

17. LIVRE DO PODER VIL

18. LUZ AZUL

19. O CASACO

20. O CASO DA DROGA DA GORDA DO SACO

21. O CÉU SUECO

22. O GALO AMA O LAGO

23. O LOBO AMA O BOLO

24. O ROMANO ACATA AMORES A DAMAS AMADAS E ROMA ATACA O NAMORO

25. ÓDIO DO DOIDO

26. ÓTO COME DOCE SECO DE MOCOTÓ

27. RIR, O BREVE VERBO RIR

28. ROMA ME TEM AMOR

29. SAIRAM O TIO SÁ E OITO MARIAS

30. SOCORRAM-ME SUBI NO ONIBUS EM MARROCOS

 

image

 

30/12/2016

sábado, 2 de junho de 2012

Fazendo o dinheiro circular

 

 

economia Um viajante chega numa cidade e entra num pequeno hotel. Na recepção, entrega duas notas de R$ 100,00 e pede para ver um quarto.

Enquanto o viajante inspeciona os quartos, o gerente do hotel sai correndo com as duas notas de R$ 100,00 e vai até o açougue pagar suas dívidas com o açougueiro.

Este pega as duas notas e vai até um criador de suínos a quem, coincidentemente, também deve R$ 200,00 e quita a dívida.

O criador, por sua vez, pega também as duas notas e corre ao veterinário para liquidar uma dívida de R$ 200,00.

O veterinário, com as duas notas em mãos, vai até a farmácia quitar a sua dívida que coincidentemente era de R$ 200,00.

O dono da farmácia sai com o dinheiro em direção ao hotel, lugar onde, às vezes, se hospeda e que ultimamente não havia pago pelas acomodações. Valor total da dívida: R$ 200,00. Ele avisa ao gerente que está pagando a conta e coloca as notas em cima do balcão.

Nesse momento, o viajante retorna dos quartos e diz não ser o que esperava, pega as duas notas de volta, agradece e sai do hotel.

Ninguém ganhou ou gastou um centavo; porém, agora, toda a cidade vive sem dívidas, com o crédito restaurado e começa a ver o futuro com confiança!

MORAL DA HISTÓRIA: NÃO QUEIRA ENTENDER ECONOMIA!

sábado, 14 de abril de 2012

A verdade matemática

imagePara averiguar qual das profissões era mais criativa, trancaram um engenheiro eletrotécnico, um matemático e um físico em celas separadas. As celas, de 4m x 3m, tinham apenas uma cama e uma geladeira fechada a cadeado. 
Os prisioneiros foram avisados de que as portas só seriam abertas dali a uma semana.
Passado o prazo, abriram a porta do engenheiro: estava deitado, gordo e bem disposto, a ouvir rádio.

– Como é que?…

– Fácil. Com o canivete suíço com que ando sempre, abri o cadeado. Desmontei a geladeira para tirar peças que não lhe são essenciais, mas que deram para fazer o rádio.

Abriram a porta do físico. Estava deitado, gordo mas chateado por não ter nada que fazer.

– Como é que?…

– Isso foi fácil, bastou aplicar as leis da termodinãmica. Apliquei a serpentina ao cadeado, que congelado é facil de quebrar. Mas é um saco ficaraqui sem fazer nada!

Abriram a porta do matemático. Estava magérimo, a andar de um lado para o outro, e a murmurar:

– Suponhamos que a porta da geladeira está aberta… Suponhamos que a porta da geladeira está aberta… Suponhamos que a porta da geladeira está aberta… Suponhamos que a porta da geladeira está aberta…

Fonte: http://aalfacinha.net/2008/05/07/190/

domingo, 8 de abril de 2012

O astrolábio

Astrolábio náutico 1555

O astrolábio era um antigo instrumento para medir a altura dos astros acima do horizonte, utilizado na Idade Média para fins astrológicos e astronômicos. Também era utilizado para resolver problemas geométricos, como calcular a altura de um edifício ou a profundidade de um poço. Era formado por disco de latão graduado na sua borda, num anel de suspensão e numa mediclina (espécie de ponteiro).O astrolábio náutico era uma versão simplificada do tradicional e tinha a possibilidade apenas de medir a altura dos astros para ajudar na localização em alto mar.

Astrolábio planisférico 1616

O quadrante era um astrolábio reduzido à quarta parte. Muitos exemplares espalhados pelo mundo foram fabricados em Portugal e têm o nome ou marca de seu fabricante, como Agostinho de Gois Raposo, Francisco Gois e João Dias. Poucos astrolábios náuticos chegaram até os nossos dias, mas com o desenvolvimento da arqueologia subaquática foi possível recuperar mais exemplares. Há atualmente cerca de 80 e são mundialmente registrados no Museu Marítimo de Greenwich. Além de um número de registro passaram também a serem conhecidos por um nome, normalmente relacionados com o navio ou local onde foram encontrados.

 

Mneira correta de se utilizar o astrolábio

Inicialmente tinha a forma da parte de trás do astrolábio tradicional. No entanto, com a experiência dos pilotos sua forma foi aperfeiçoada. Deixou de ser fabricado em chapa de metal ou madeira e passou a ser feito de cobre para que ficasse mais pesado, cerca de dois quilos e menos sujeito ao balanço do navio. O disco inicial foi parcialmente aberto para diminuir a resistência ao vento. O manejo do astrolábio exigia a participação de duas pessoa; consistia em grande círculo, por cujo interior corria uma régua; um homem suspendia o astrolábio na altura dos olhos, alinhando a régua com o sol enquanto outro lia os graus marcados no círculo.

 

 

Fonte: http://www.museutec.org.br/previewmuseologico/o_astrolabio.htm